Parafraseando o ditado popular, “quem escreve seus males espanta”.  É o que afirmam cientistas e psicólogos que estudam os padrões de saúde de quem costuma escrever um diário.

Pois é, essa prática milenar (os primeiros diários surgiram no Japão, no Século VIII) deixou de ser “coisa de adolescente” e vem sendo cada vez mais recomendado como terapia complementar.

Estamos sempre vivenciando algum conflito (emocional, profissional, familiar, financeiro)  e escrever um diário, desabafar o que está no mais íntimo do nosso ser, ajuda a clarear as ideias, acalmar as emoções e lidar melhor com a situação. O diário torna-se um amigo que te escuta sem fazer julgamento então você acaba desabafado até os sentimentos mais secretos.

Abrahan Lincoln, um dos maiores presidentes dos EUA, teve algumas decepções com seus partidários políticos e costumava escrever-lhes cartas (telefone ainda não havia sido inventado) para expressar sua insatisfação.  Só que estas cartas nunca chegavam ao endereçado. Após escrever, Lincoln guardava no bolso e lá elas ficavam até sua “fúria” passar. Com isso ele mantinha a diplomacia política, mas sem sofrer remoendo palavras que não foram ditas. Sábio, não?

“É preciso entender que inibir as emoções tem impacto negativo sobre o corpo. O esforço feito para não pensar sobre algo desagradável ou para não sentir determinada emoção se torna fonte de estresse psicológico, capaz de causar doenças.” (James Pennebaker – Chefe de Psicologia da Universidade do Texas)
 

Como escrever um diário beneficia sua saúde

Da década de 70 pra cá muitos estudos foram feitos pra entender como o hábito de escrever o diário influencia na saúde do indivíduo. Aqui alguns dos mais recentes e os resultados são surpreendentes:

  • Na Universidade da Califórnia (EUA), estudo comprovou que ao escrever sobre nossas emoções o cérebro ativa funções que provocam relaxamento e reduz o desconforto de sentimentos negativo.
  • Na Universidade do Texas (EUA), pesquisa concluiu que pessoas que escrevem em diário regularmente fazem menos idas ao médico, normalizam a pressão arterial e tem maior poder de concentração, memória e tomada de decisão.
  • Um outro estudo exclusivo com pacientes que sofrem de artrite mostrou que quem escreve sobre seus sentimento passa a usar menos medicamento para dores e há ainda estudos que mostram que escrever diminui os transtornos emocionais de pacientes com Câncer ou com AIDS.

“À medida que buscamos palavras para descrever alguma situação, conseguimos reestruturar o trauma, processar os sentimentos envolvidos na história e, finalmente, superá-la. E isso tem um natural impacto positivo na saúde […] Escrever é conhecer melhor a si mesmo. Ao colocar os sentimentos no papel podemos observar e reconhecer as projeções do nosso eu, ampliando o aprendizado sobre nós mesmos. Ou seja, por meio das palavras traduzimos o que pensamos e mostramos o reflexo do que somos”. Julio Peres, Psicólogo

 

 

Começando o seu diário

O que escrever num diário?

O Diário é seu amigo confidente. Com ele você pode botar pra fora seus medos, angustias, sonhos, enfim, tudo que de alguma forma influencia suas emoções.

Fale do que deu errado, mas fale também do que deu certo. Isso vai te ajudar a ver que nem tudo são espinhos. Sim,  porque na ebulição emocional que vivemos a gente acaba registrando com mais intensidade o que nos machucou do que o que nos fez bem.

“Escrever ajuda as pessoas a entender e organizar psicologicamente os eventos vividos. A partir daí, elas dormem melhor, o nível de estresse baixa e fica mais fácil a interação social com amigos e parentes. Todas essas coisas melhoram a saúde física”. James Pennebaker

 

Fale das pequenas coisas que te fizeram sorrir: um pássaro que cantou na tua janela, a gargalhada de um bebê dentro do ônibus, o presente embalado numa caixa de tinta guache que você recebeu do teu filho de 6 anos, o dia em que, enfim, você conseguiu instalar prateleiras para organizar as coisas na sua área de serviço. Coisas assim precisam ficar registradas para você desfazer a ideia errada de que a vida é só espinhos.

Depois, folheando o diário você vai identificar as pequenas conquistas diárias, seu amadurecimento que profissional e o progresso emocional que você alcançou ao longo dos meses.

 “Escrevemos para dizer quem somos, descobrir quem somos, inventar as nossas vidas, matar os nossos dragões, testemunhar” (Francisco Cavalcante Junior – psicólogo e professor da Universidade Federal do Ceará)

Aproveite pra liberar a criatividade. Além de escrever suas emoções você pode desenhar, escrever poesias, colar fotografias, tickets de show ou de cinema que valeu muito a pena ter ido, flores secas pra enfeitar, mandalas para colorir. A regra é: se te emocionou, coloca lá.

 

E como começar a escrever?

Se você não tem o hábito de escrever pode começar cada registro diário com a resposta para “como estou me sentindo hoje?”. Escreva 1 palavra que defina o seu estado atual. Depois procure justificar o porquê desse sentimento. Às palavras vão vir por si só, você vai ver.

Mas, um detalhe, é importante manter um hábito diário. Escreva todos os dias nem que seja só por 5 minutos ou menos, mas escreva.

E, lembrando mais uma vez, o Diário como um amigo íntimo. Você não precisa usar vocabulário refinado pra conversar com ele. Escreva com as palavras que você usa pra conversar com seus amigos. Seu diário é um local onde você não precisa provar nada pra ninguém, é “Seu Diário”, então expresse-se da forma como você é.

Tive um diário quando adolescente e há 4 anos voltei a escrever. Ele me ajuda até a interpretar meus sonhos (que são manifestações de emoções ou memórias registradas, fatos recentes ou mais antigos) e, graças a ele, eu descobri que aquela tontura que eu sentia de vez em quando não era tão aleatória assim. E sabe a Lua Cheia? É quando eu tenho crises de insônia (descobri relendo e analisando meu diário). Compreender isso permitiu entender o que de fato se passa comigo, dia a dia, e isso me traz mais paz de espírito e serenidade pra lidar com as dificuldades. Não é maravilhoso?

A minha dica é: comece seu diário hoje! Basta um caderno comum, caneta e alguns minutos por dia. Esse é um amigo que vale muito a pena ter por perto.

Além do diário, outra coisa que ajuda a equilibrar amente e as emoções é a prática de yoga. Para saber o que especialistas falam sobre a prática de yoga, clique aqui.
 
 
Harmonize-se!
Luz e Bençãos pra você

2 thoughts on “Psicólogos e Neurocientistas confirmam: escrever um diário faz bem pra saúde”

  1. Texto perfeito sobre a importância de um diário em nossa vida. Vou começar hoje mesmo a escrever sobre as minhas emoções diárias. Muito bom mesmo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *