Houve um tempo em que os humanos podiam ouvir a Terra. Numa época em que andávamos descalços e dormíamos sob as estrelas era fácil saber o momento certo pra germinar uma semente e o local exato pra cavar um poço e obter água limpa. Observando o voo dos pássaros eles anteviam as tempestades. Pelas cores do por do sol eles sabiam se o que se aproximava era um inverno vigoroso ou uma seca castigadora e já podiam armazenar seus mantimentos ou migrar para um local mais seguro.

Oficina de Plantas Medicinais e Remédios Caseiros – Projeto Em Natural Harmonia – Crato-CE

Houve um tempo em que tudo o que os humanos precisavam para sua saúde era encontrado sobre a Terra. Bastava colher, macerar, talvez aquecer ao fogo e em seguida aplicar sobre a pele ou ingerir aquele preparo. Houve um tempo em que ao fim do dia os humanos se reuniam em torno de uma fogueira e confraternizavam entre si a colheita e os agouros do dia. Dividiam o alimento e suas preocupações e sempre havia alguém capaz de dizer sábias palavras para trazer esperança e reavivar a coragem daquelas pessoas, bem diferente dos dias de hoje em que as pessoas se reúnem à frente de uma caixa de plástico com tela vítrea, escutam e veem horrores e depois vão dormir com mais aflição do que as que acumularam ao longo do dia.

Houve um tempo em que todos éramos um. A criança ou o idoso da comunidade era responsabilidade de todos, tanto no que diz respeito à educação como no que diz respeito à segurança. E não havia moeda de troca envolvida aqui. Cuidávamos uns dos outros sem distinção porque sabíamos que o bem estar do grupo dependia do bem estar de cada um. Hoje os humanos saem pro trabalho e nem ao menos olham pra pessoa que senta ao seu lado no ônibus.

Adoecemos.

Adoecemos como coletividade e adoecemos como indivíduo.

Joaninha no Jardim de Cura – Vila Encantada – Crato-CE

Ainda dispomos de uma Terra fértil e generosa de onde brota tudo o que precisamos para nossa saúde e sobrevivência, mas desaprendemos a arte do cultivo, da colheita e do preparo. É mais fácil ir ao supermercado e pegar numa prateleira ou, em alguns casos, é mais fácil ir num self servisse ou fast food e não ter sequer a preocupação de se envolver com o preparo do alimento, até porque a humanidade de hoje não tem mais tempo para essas coisas “banais” (mas curiosamente tem tempo para assistir telenovelas, aprender a dançar músicas de baixo padrão e se envolver com a vampirização das redes sociais digitais).

A mídia anuncia o lançamento de novos alimentos (super processados) com a mesma velocidade com que anuncia o surgimento de novas doenças. Ah, mas calma, também anunciam a descoberta de cura para algumas doenças mais graves. Obviamente não é uma cura disponível para todos. Há o custo das muitas e muitas pesquisas feitas para se chegar a um produto estável, não é tão simples como ir á mata, colher umas ervas, macerar, aquecer ao fogo… não é mais…

Piquenique no Sítio Fundão – Projeto Em Natural Harmonia – Crato-CE

Não é mais mas pode voltar a ser. A Terra, apesar de calejada e sofrida, continua generosa. O sol ainda nasce todos os dias e com seu calor pode germinar as sementes. E (ainda) dispomos de água para regar e garantir o desenvolver daquela planta. Onde plantar? No quintal, num vaso, numa praça, no terreno baldio ao lado da sua casa, no telhado (sim, tem gente que planta no telhado).

Se o distanciamento desse contato com a Terra nos adoeceu, então restaurar nossa conexão com a Natureza pode ser o caminho da cura. Pode não. É! Estudos comprovam que o contato com a natureza, seja caminhando por uma mata virgem ou cultivando uma horta ou um jardim melhora casos de insônia, depressão e ansiedade que são alguns dos males mais comuns da humanidade de hoje.

 

Yoga ao ar livre na Vila Encantada – Projeto Em Natural Harmonia – Crato-CE

E então, vamos fazer o caminho de volta? Vamos buscar atividades que nos tirem das 4 paredes e nos coloquem mais em contato com a Natureza? Que tal um pouco mais de olho no olho, gargalhadas sonoras e um pouco menos de emotions e “kkkkk”?  Uma roda de conversa sob um céu estrelado não seria mais desestressante do que passar suas últimas horas do dia sentado em frente à televisão?

Reconecte-se com sua origem, busque ouvir os sons da Terra, faça do seu alimento seu remédio (frase de Hipócrates), busque suas raízes, faça o caminho de volta, reencontre-se! E, citando Madre Teresa de Calcutá,

Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você.

 

Adriana Almeida
Projeto Em Natural Harmonia
Crato-CE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *